Redação Empresarial I - Profª. Solange Aparecida Lara - Faculdade INED
Frase, Oração e Período
    A estrutura do período.
  • Objetivos:
    • Diferenciar frase, oração e período.
    • Reconhecer a importância dos processos de coordenação e de subordinação no processamento textual.
    • Praticar a estruturação do período, observando-se a relação lógico-semântica estabelecida entre os diferentes segmentos que o compõem.
  • Relação com a aula anterior: os segmentos que compõem o período estabelecem entre si relações lógico-semânticas, cujo reconhecimento e cuja compreensão contribuem para a construção do sentido global do texto.
  • Relação com a aula seguinte: A formação e a articulação dos períodos são responsáveis pela constituição do parágrafo.
    FRASE: qualquer enunciado com sentido completo.
  • “Oscar 2004! Marta leva melhor maquiagem!” (José Simão. Folha de São Paulo – 03/03/04)
    • “Oscar 2004!”: frase nominal.
    • “Marta leva melhor maquiagem!”: frase verbal.
    ORAÇÃO: frase ou parte de uma frase que se estrutura em torno de um verbo ou de uma locução verbal. Geralmente, é composta de dois elementos básicos: o sujeito e o predicado.
  • “PT cobra mudanças na economia.” (Folha de São Paulo – 06/03/04)
  • “Marte teve água e foi habitável, diz Nasa.” (Folha de São Paulo – 03/03/04)
    PERÍODO: é a frase que se estrutura em torno de uma ou mais orações. Pode ser simples ou composto.
  • “Cresce a demanda por seguros que cobrem processos contra executivos.” (Exame – 17/03/04)
  • “Avião de Lula consome 75% dos investimentos da União. No ano da “virada”, governo gasta R$ 46,9 milhões com parcela de Airbus” (Folha de São Paulo – 14/03/04)
  • A oração precisa de verbo ou de locução verbal, mas, mesmo assim, nem sempre tem sentido completo. Por isso, nem toda oração é uma frase.
  • A frase não precisa ter verbo, mas precisa ter sentido completo. Por isso, nem toda frase é uma oração.
  • Há frases com duas ou mais orações, visto que, separadas, não possuem sentido completo.

  • Um período é composto de uma ou mais orações.
  • Período simples é aquele que contém apenas uma oração, isto é, contém apenas um núcleo verbal.
  • Período composto é aquele que contém mais de uma oração, isto é, contém mais de um núcleo verbal
  • O número de núcleos verbais é igual ao número de orações.

    Um período pode ser composto por coordenação e/ou por subordinação.
  • O período composto por coordenação contém orações independentes, que podem, com freqüência, ser separadas em períodos simples.
  • O período composto por subordinação contém orações interdependentes, que dificilmente podem ser separadas em períodos simples.
    PERÍODO COMPOSTO
  • O processo de coordenação se dá por paralelismo ou relativa independência entre as orações. Relativa porque, se há a independência sintática, muitas vezes não há independência semântica.
  • O processo de subordinação caracteriza-se por não haver paralelismo entre as orações, mas desigualdade de funções e variedades sintáticas.
    PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO
  • “Atleta obtém prata inédita no salto, ganha por 0,025 ponto no solo e coroa melhor participação do Brasil na Copa.” (Folha de São Paulo – 15/03/04)
  • Atleta obtém prata inédita no salto,
  • (Atleta) ganha por 0,025 ponto no solo
  • e (atleta) coroa melhor participação do Brasil na Copa.
    PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO
  • “Em depoimento, empresário do jogo afirma que ex-assessor de Dirceu usou telefone do Palácio para convocar reunião com GTech.” (Folha de São Paulo – 15/03/04)
  • Em depoimento, empresário do jogo afirma
  • que ex-assessor de Dirceu usou telefone do Palácio
  • para convocar reunião com GTech.
    PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO E POR SUBORDINAÇÃO
  • “Lula afirma que vai mexer e fazer ajustes no governo.” (Folha de São Paulo – 15/03/04)
  • Lula afirma
  • que (Lula) vai mexer (no governo)
  • e (Lula) (vai) fazer ajustes no governo.
    O EMPREGO DAS CONJUNÇÕES
  • A conjunção é uma classe de palavras invariável, cuja função é interligar elementos de uma frase, estabelecendo entre eles relações de sentido.
  • As conjunções podem interligar desde palavras até períodos.
  • Quando interligam duas ou mais orações, classificam-se em conjunções coordenativas (ex: e, mas, porém, logo) e conjunções subordinativas (ex: já que, embora, desde que, conforme, à medida que, a fim de que).
Conjunção Coordenativa
  • Elo coesivo por meio do qual se estabelece a organização da informação e a estrutura da argumentação.
  • mecanismo usado para assinalar as relações de sentido entre dois segmentos coordenados, que podem ser:
    • sintagmas: segmentos ligados pela conjunção e;
    • orações: segmentos ligados pelas conjunções mas, pois e ou;
    • enunciados: segmentos ligados pela conjunção portanto.
Conjunções Coordenativas e Valores Semânticos
  • sentido de adição, soma ou seqüência de ações. Principais conjunções: e, nem, não só ... mas também, não só ... como também.
    • Os gerentes devem delegar poderes e estabelecer relações democráticas.
    • Os gerentes não só devem delegar poder como também estabelecer relações democráticas.
Conjunções Coordenativas e Valores Semânticos
  • Adversativas: oposição, adversidade, contraste. Principais conjunções: mas, porém, contudo, todavia, no entanto, entretanto.
    • É importante delegar responsabilidades aos colaboradores, mas é preciso conhecer a capacidade deles.
    • É importante delegar responsabilidades aos colaboradores, contudo é preciso conhecer a capacidade deles.
Conjunções Coordenativas e Valores Semânticos
  • Explicativas: exprimem motivo, razão, explicação. Principais conjunções: que, pois (antes do verbo), porque.
    • A empresa teve bons resultados porque (pois) possui um time com talentos diferenciados.
    • Organize um time com talentos diferenciados, que (pois) isso garantirá o sucesso da empresa.
Conjunções Coordenativas e Valores Semânticos
  • Conclusivas: exprimem conclusão, hipótese, dedução. Principais conjunções: portanto, logo, por isso, pois (após o verbo), dessa forma.
    • Procurou estimular a criatividade em seu trabalho, logo (por isso) alcançará boa produtividade.
    • Procurou estimular a criatividade em seu trabalho, alcançará, pois, boa produtividade.
Conjunções Coordenativas e Valores Semânticos
  • Alternativas: exprimem alternância, escolha, exclusão. Principais conjunções: ou ... ou; ora ... Ora, quer ... quer, seja ... seja.
    • Os profissionais devem estimular a própria criatividade ora convivendo com pessoas criativas, ora lendo bons livros.
    • Seja no momento de lazer, seja na execução de uma tarefa, os profissionais devem procurar desenvolver o seu potencial criativo.
  • Elementos coesivos usados para unir sintagmas nominais, orações e enunciados.
    • Introduzem novas informações / argumentos, que possibilitam a progressão textual.
    • Expressam as seguintes idéias: adição, adversidade, explicação, conclusão e alternância.

Conjunções Subordinativas
 Circunstância Conjunções
ComparaçãoQue, do que (depois de mais, menos, maior, menor, melhor, pior), tanto quanto, como.
CondiçãoSe, caso, contanto que, desde que, a menos que, anão ser que.
ConformidadeConforme, segundo, como.
TempoQuando, antes que, depois que, logo que, assim que, desde que.
ProporçãoÀ medida que, à proporção que.
CausaPorque, como, já que, uma vez que, visto que.
ConsequênciaQue (tal...que, tanto...que, tão...que,), de forma que, de maneira que.
FimPara que, a fim de que.
ConcessãoEmbora, ainda que, mesmo que, por mais que, por menos que, se bem que..

Exemplos:
A torcida frequenta mais os estádios
PROPORÇÃO: à proporção que o seu time está subindo na tabela do campeonato.FINALIDADE: para ver o seu time vencer no clássico.

A torcida expande suas tensões
CONDIÇÃO: se o time está perdendo.TEMPO: quando o time está perdendo.

A audiência do jogo é garantida
CONCESSÃO: embora a transmissão não seja de boa qualidade.CONFORMIDADE: como atestam as pesquisas do Ibope.

Considerações finais